Observatório Constante

conversas/debates/entrevistas/música/espetáculos/filmes/performances

O Observatório Constante é uma ação do Projeto_ENTRE que busca criar intervenções provocativas nas artes promovendo desde debates a espetáculos produzidos fora do Rio de Janeiro e fora do Brasil, filmes, performances e um grande escopo de atividades artísticas. O nosso objetivo é a construção de uma ponte de pensamento crítico na arte contemporânea com um amplo espectro de ação que contemple todas as áreas.
No inicio de nossa gestão no Sergio Porto o Observatório Constante se dava principalmente através de debates, palestras e dos encontros do CEP 20000. A partir de 2011 este campo se alargou para várias outras iniciativas artísticas que contaram com o ENTRE como interlocutor.

2015

OCUPAÇÃO TEATRO MEIA VOLTA

A companhia portuguesa Teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser realizou, em parceria com o Projeto_ENTRE, uma ocupação no Espaço Cultural Sérgio Porto, entre os dias 27 de Fevereiro e 8 de Março.
O trabalho da companhia procura pensar sobre o mundo que nos rodeia e a complexidade da vida contemporânea, criando espaços de organização das nossas percepções e vivências. Neste momento, interessa-se particularmente pelo tema da urbanidade, compreendido no seu espectro máximo – território, população, organização dos objectos físicos e relações entre os agentes sociais. Muitos dos seus projetos partem do reconhecimento e da experimentação radical do lugar urbano e da heterogeneidade que o caracteriza. Trata-se de perseguir uma linguagem plástica que possa traduzir uma visão sensível do mundo e das pessoas.

Esta ocupação integra a apresentação de três espectáculos:

27 e 28 de Fevereiro às 20h
NACIONAL-MATERIAL, PAISAGEM COM ARGONAUTAS

icone-para-trabalhos-como-ator

«[Nacional-Material, Paisagem com Argonautas] é uma pequena pérola da dramaturgia e um exercício que foge a qualquer estereotipada construção sobre os estereótipos.»
Tiago Bartolomeu Costa, jornal Público, 07/07/2011

NACIONAL-MATERIAL, PAIDAGEM COM ARGONAUTAS é uma performance-debate em torno do tema da imigração e da integração de estrangeiros nos países de acolhimento. Propondo ao público a simulação do espaço de uma assembleia deliberativa, evoca-se a narrativa de Medeia, a estrangeira, e dos Argonautas para debater as políticas e as práticas ligadas à inclusão de imigrantes nas sociedades de acolhimento. O público é convidado a participar na discussão e a decidir sobre a permanência ou expulsão de Medeia, conquistando-se assim para o Teatro esta dimensão de debate e a possibilidade de testar os limites do poder do espectador no interior de um espectáculo.

Direção artística: Alfredo Martins | Cocriação e concepção do espaço cénico: Alfredo Martins, Bernardo de Almeida, Cláudia Gaiolas, Ivo Serra, Luís Godinho, Margarida Carvalho | Interpretação: Alfredo Martins, Luís Godinho, Margarida Carvalho, Bernardo de Almeida | Vídeo: Ivo Serra | Apoio à dramaturgia: Sandra C. S. Marques | Acompanhamento técnico e operação: Anaísa Guerreiro | Coprodução: TMV, TNDM II.

Classificação: acima de 8 anos
R$ 20 inteira | R$ 10 Meia e Lista Amiga

3 e 4 de Março às 20h
TRYROMANCE

icone-para-trabalhos-como-ator

Düsseldorf, Marselha, Lisboa, Rio de Janeiro – em cada uma destas cidades foi pedido a transeuntes para lerem textos icónicos da literatura romântica do seu. A filmagem destes encontros são o ponto de partida para a construção desta instalação-performance, que enceta uma reflexão sobre o espaço dos afectos no discurso contemporâneo, tendo como pano de fundo o espaço urbano.

Direção Artística: Paula Diogo e Cláudia Gaiolas | Interpretação: Paula Diogo, Cláudia Gaiolas, Jan Machacek, Guilherme Garrido | Vídeo: Jan Machacek | Acompanhamento técnico e operação: Anaísa Guerreiro | Coprodução: TMV, Théâtre Les Bernardines, O Espaço do Tempo,Tanzhaus, Secretaria de Estado da Cultura/Governo de Portugal.

Classificação: acima de 6 anos
R$ 20 inteira | R$ 10 Meia e Lista Amiga

7 e 8 de Março às 20h
OZZZZZ

icone-para-trabalhos-como-ator

«(…) passa também a aderir-se a essa dimensão irónica e light, que transgride as diferenças e as semelhanças entre o aqui e o lá, entre o próprio e o estrangeiro, entre o nacional e o internacional… nessa dinâmica “easy jet – low cost”…»
Afonso Becerra, Artezblai – El Periódico de las Artes Escenicas, 17/06/2014

OZZZZZ propõe uma releitura do clássico “O Feiticeiro de Oz”, abordando o binómio casa/viagem num contexto contemporâneo de mobilidade à escala mundial. Os cinco intérpretes deste espectáculo realizaram uma viagem low cost para diferentes cidades – Berlim, Palermo, Casablanca, Budapeste e Tel Aviv –, testando a sua capacidade de integração e o seu sentido de ‘casa’. O registo vídeo destas viagens constitui o eixo central deste espetáculo.

Direção Artística e de Produção: Alfredo Martins | Cocriação e interpretação: Alfredo Martins, Cláudia Gaiolas, Estelle Franco, Luís Godinho, Paula Diogo | Vídeo: Masako Hatori | Cenografia: Fernando Ribeiro, Rita Lopes Alves | Desenho de luz, acompanhamento técnico e operação: Anaísa Guerreiro | Acompanhamento técnico de vídeo: Paulo Américo | Adaptação musical e harmonizações: Luís Baptista | Coprodução: TMV, Festival Temps d’Images, Secretaria de Estado da Cultura/Governo de Portugal.

Classificação: acima de 6 anos
R$ 20 inteira | R$ 10 Meia e Lista Amiga

2014

Máquina de Dançar Rio de Janeiro_Fortaleza
Galeria Marcantonio Villaça 2
29 e 30.11 e 01.12
as 13 às 19h*

icone-para-trabalhos-como-ator

Em uma espécie de museu imaginário, misto de atração e horror, de homenagem e profanação: de repente, o corpo. Onde, a dança? Entre dança e pensamento, gesto e palavra, corpo e escrita, um dispositivo de dança que se sustenta sem a necessidade de uma escrita coreográfica nos moldes como convencionalmente a entendemos. É dança, mas não é. Não é dança, mas também não deixa de ser.

Este trabalho foi contemplado pelo Programa de Fomento à Cultura Carioca, da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro e tem apoio do Projeto_ENTRE.

Concepção: Maria Alice Poppe & Thereza Rocha | Dança: Maria Alice Poppe | Dramaturgia: Thereza Rocha | Direção de Arte: Carolina Poppe | Paisagem Sonora: Tato Taborda | Luz: Tomás Ribas | Programação Visual: Raul Taborda | Assessoria de Imprensa: Christovam de Chevalier | Fotografia: Leo Aversa | Cenotécnico: Andre Salles | Direção de Produção: Aline Carrocino | Produção Executiva: Aline Mohamad | Administração Financeira: Angela Blazo | Produção geral: Alce Produções | Realização: Cinearte

*Horário das sessões: 13h, 14h, 15h, 16h, 17h e 18h
Sessões de 40 minutos, somente 10 espectadores por sessão.

Classificação etária 12 anos.
Entrada Franca

Praça Cultural Sérgio Porto Lançamento Simbólico da Pedra Fundamental
20 de Setembro 2014
Sábado das 18 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Projeto gestado por uma mobilização inédita da sociedade civil carioca, e apresentado ao poder público há quase dois anos, a Praça Cultural Municipal Sérgio Porto terá finalmente sua festa de lançamento!

Sem ainda termos certeza de sua execução, mas confiando que a força dos cidadãos constrói a cidade, neste dia faremos então o lançamento simbólico da pedra fundamental do novo edifício cultural que se erguerá no espaço em que hoje está o ECM Sérgio Porto, e também o posto de gasolina.

Enraizando esta idéia definitivamente no coração do bairro do Humaitá, nossa festa contará com a intervenção do COLETIVO GRÁFICO – realizando a colagem do novo painel do MURO do teatro -, a Banda Biltre com a sua BANANOBIKE e o Café das Sete, performance onde você poderá degustar um delicioso cafezinho no meio do Posto BR, o lugar que, num futuro próximo, acreditamos, abrigará o Café da Praça.

Venha ouvir música conosco, venha brindar e participar deste dia histórico de uma trajetória cultural e cidadã no Rio de Janeiro que nós mesmos, artistas, público do teatro e bairro, inventamos.

Gratis
Classificação: Livre

Lei de fomento para as artes cênicas na cidade do Rio de Janeiro Debate
Dia 06/08, às 19h

icone-para-trabalhos-como-ator

Debatedores:

Eduardo Paes – Prefeito do Rio de Janeiro
Fernando Libonati – Pequena Central / Sócio Diretor – Instituto Galpão Gamboa / Diretor Artístico – APTR / Colegiado.
Junior Perim – ativista social e realizador de cultura, Coordenador Executivo e Co-Fundador do Circo Crescer e Viver e Diretor da Federación Internacional de Circo (FIC)
Tatiana Richard – Superintendente da Lei de Incentivo à Cultura na Secretaria de Estado de Cultura RJ

Mediação: Adriana Schneider – atriz, diretora de teatro, professora do curso de Direção Teatral e do Programa de Pós-graduação em Artes da Cena – ECO/UFRJ e integrante da comissão do Movimento Reage Artista.

Você é nosso convidado para para discutir a atual política cultural da cidade sob o tema Lei de Fomento. A existência da Lei de Fomento em São Paulo, em vários momentos desde sua criação, suscitou aqui na nossa cidade alguns fóruns de debate; entre os mais significativos estão a Operação Fomento e Movimento Reage, Artista!.
Há alguns anos, a principal política pública de fomento para o Rio de Janeiro tem sido o programa de editais, que dependem diretamente da intenção dos governantes para, a cada ano, existirem.
Hoje há, em vários grupos do cenário cultural da cidade, demandas para que aconteçam tanto a reelaboração desta política, como a sua garantia em lei.
Contamos com a sua presença e sua contribuição nessa discussão fundamental para o desenvolvimento do Rio de Janeiro.

CURADORIA OPERÁRIA
Ana Luisa Lima, Daniela Mattos, Manoel Silvestre Friques e Paula Borghi (organizadores)
Dia 06/08, às 19h
De 07 de maio a 27 de julho de 2014.

icone-para-trabalhos-como-ator

Na exposição Curadoria Operária, Manoel Silvestre Friques convidou as pesquisadoras Daniela Mattos, Paula Borghi e Ana Luisa Lima a refletir a respeito do ofício curatorial. O grupo de curadores formulou uma proposta de ocupação espacial cujo princípio é único: direcionar perguntas aos visitantes. Sendo assim, estará disponível ao participante um conjunto de informações consolidado pelos pesquisadores, dentre textos, informações, publicações e reflexões em torno do tema. Quem visitar a exposição poderá então realizar o seu percurso pela história e pela teoria da curadoria in loco, ou então em casa, a partir de fotocópias do material produzidas em uma impressora multifuncional instalada no espaço expositivo.

Em conjunto, os artistas, pesquisadores e curadores reunidos em torno de Curadoria Operária refletem a respeito de suas práticas, compartilhando as dúvidas e indagações com o público. Trata-se, antes de tudo, de um processo de investigação aberto aos visitantes, na tentativa de se criar um espaço onde a curadoria – enquanto produção cultural, prática discursiva, disciplina de formação, escolha profissional, função institucional e mecanismo de promoção do status social – é exposta ao escrutínio e à verificação.

Galerias Marcantônio Vilaça
Curadoria Operária – Performance convidada
Alexandre Sá e Maíra Gerstner: 06/05, às 20hs.

A CARTOMANTE Grupo Liquidificador_Brasília
30 e 31.05 e 01.06, às 21h

icone-para-trabalhos-como-ator

A peça “A Cartomante” é baseada no conto homônimo do escritor Machado de Assis, adaptada pelo Grupo Liquidificador. A história gira em torno do triângulo amoroso que se forma entre Vilela, sua esposa Rita e seu amigo de infância Camilo. O trágico enredo ganha também contornos de comédia pelas teias da linguagem performática, do jogo, do improviso e do diálogo entre atores e público. O realismo crítico e irônico do texto machadiano marca a trama, que inspira nos espectadores uma reflexão sobre o poder das decisões e suas conseqüências diretas sobre o destino dos personagens que caminham para um desfecho trágico e surpreendente.

É com muito orgulho que o Projeto_ENTRE recebe mais este espetáculo em circulação como parte de sua programação.

Autor: Machado de Assis | Dramaturgia: Grupo Liquidificador | Direção: Fernando Carvalho | Elenco: Fernanda Alpino, Fernando Carvalho, Iza Cavanellas, Kael Studart, Karinne Ribeiro | Figurinos: Fernanda Alpino e Glauber Carvalho | Cenografia: Grupo Liquidificador | Iluminação: Tiago Medeiros | Fotos: Júlia Salustiano e Raquel Pellicano | Designer Gráfico: Bárbara Alpino | Produção e Realização: Grupo Liquidificador, Fernanda Alpino, Fernando Carvalho, Iza Cavanellas, Kael Studart e Karinne Ribeiro

Classificação Livre
R$ 30 inteira | R$ 15 Lista Amiga e Meia

FRANCISCO CAMACHO_Eira Portugal
31.01 e 01 e 02.02, às 20h

icone-para-trabalhos-como-ator

Em parceria com o Projeto_ENTRE um dos mais consagrados coreógrafos portugueses Francisco Camacho_EIRA apresenta-nos um programa duplo de solos: “O Rei No Exílio – Remake” (2013) e “Nossa Senhora das Flores” (1993), dois marcos da dança contem- porânea portuguesa e europeia.

O REI NO EXÍLIO – REMAKE + NOSSA SENHORA DAS FLORES

O REI NO EXÍLIO – REMAKE é a recriação de 2013 da peça “O Rei No Exílio” (criado originalmente em 1991 para o Klapstuk Dance Festival), um solo de Fran- cisco Camacho / EIRA baseado na figura de D. Manuel II, o último Rei de Portugal que se exilou em Inglaterra em 1910. A personagem é o resultado da justa- posição do próprio coreógrafo e intérprete com Dom Manuel II. A peça vive numa linha de tensão da ambiguidade das identidades em jogo. Resulta numa person- agem obsessiva rodeada dos seus vícios triviais, encerrado na sua existência e perdido no vazio dos seus segredos.

Coreografia e interpretação FRANCISCO CAMACHO | Consultadoria de voz e interpre- tação FERNANDA LAPA | Figurinista e Assistente de ensaios CARLOTA LAGIDO | Cenário PHILIP CABAU | Desenho de luz e Direcção Técnica FRANK LAUBENHEIMER | Banda Sonora CARLOS ZINGARO, RUY COELHO / NATÁLIA DE ANDRADE, NICK CAVE | Textos D.MANUEL II, ANTÓNIO CABRAL, FRANCISCO CAMACHO | Produção EIRA

Estreado em 1993, NOSSA SENHORA DAS FLORES mantém ainda hoje intactas todas as qualidades que fizeram deste espectáculo uma das obras de referência da Dança Contemporânea Portuguesa. Com a sua apresentação em mais de trinta teatros e festivais da Europa e América do Sul Francisco Camacho reafirmou também a sua importância enquanto criador e intérprete no circuito internacional.

Coreografia e interpretação FRANCISCO CAMACHO | Figurinos CARLOTA LAGIDO | Desenho de Luz e Direcção Técnica FRANK LAUBENHEIMER | Música JORDI SAVALL | Direcção Técnica PEDRO MACHADO | Produção EIRA
31_JAN às 20h – Estréia dupla de Rei no Exilio Remake e Nossa senhora das Flores 01_FEV às 20h – Apresentação do espetáculo Rei no Exilio Remake
02_FEV às 20h – Apresentação do espetáculo Nossa Senhora das Flores.

Classificação Livre
R$ 20 inteira | R$ 10 Lista Amiga e Meia

2013

ARTE E POLÍTICA
01.12 a partir das 18h30
icone-para-trabalhos-como-ator

Um dia de encontro e de festa, comemorada do lado de fora, na entrada do teatro. Convidamos o público a participar de uma roda de conversa política e filosófica regada a churrasquinho, cerveja e Banano-bike. 18h_Churrasquinho com pimenta e piscina tony
19h_Bate papo ARTE e POLITÍCA depois da praia
A convite do Projeto_ENTRE este é mais um encontro de discussões e ideias.

Classificação Livre
Entrada Franca

CRU_ Cia Plágio de Teatro Brasília
17 a 20.07 Quinta a sábado às 21h, domingo às 20h

icone-para-trabalhos-como-ator

Totalmente ambientado em um açougue de beira de estrada em cidade do interior do Brasil, Cru narra a história de Cunha e sua amiga de infância, o travesti Frutinha – que é, na verdade, a dona do açougue. Um forasteiro de nome Zé, vindo de Brasília, chega à localidade à procura de Cunha, de quem ouviu falar ser competente no que faz. Frutinha tenta arrancar o verdadeiro motivo da chegada de Zé, mas não consegue arrancar o segredo bem guardado. Finalmente, Zé e Cunha se encontram. Observados permanentemente por Frutinha, os dois acer- tam os detalhes do serviço a ser contratado. Durante a conversa que tem, lembranças, memórias e antigas dívidas vem à tona, para desaguar num final que surpreende, pela violência e pela surpresa que provoca.

Encenação: Sérgio Sartório e Alexandre Ribondi | Elenco: Chico Sant’Anna, Sérgio Sartório e André Reis

Esta é mais uma parceria do Projeto_ENTRE com espetáculos em circulação pelo país.

Classificação indicative: 16 anos
R$ 20 inteira | R$10 meia
Sábado espetáculo extra às 19:00h e domingo espetáculo extra às 18:00h

VOCÊ LUTA PELO QUÊ? Debate
09.07 Terça às 20h

icone-para-trabalhos-como-ator

Um encontro para refletir e debater sobre os protestos que sacudiram o Brasil em junho de 2013

Debatedores
MARCELO FREIXO – Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Alerj,
MARCELO BURGOS – Coordenador de Sociologia da
PUC-RJ,
TADEU LEMOS – Coordenador do DCE_UFRJ
Mediadora
ADRIANA SCHNEIDER – Comissão Central do movimento Reage Artista

Entrada Franca
Distribuicão de senha a partir das 19h

EXIBIÇÃO DO FILME ELENA
Debate com a cineasta Ivana Bentes, o pesquisador da Fiocruz Carlos Estellita-Lins e Petra Costa, diretora do filme.
25.06 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Como mais um evento do Obsevatório Constante temos o prazer de receber a obra ELENA, da premiada cineasta Petra Costa, acompanhada de palestra.
Elena viaja para Nova York com o mesmo sonho da mãe: ser atriz de cinema. Deixa para trás uma infância passada na clandestinidade dos anos de ditadura militar e deixa Petra, a irmã de 7 anos. Duas décadas mais tarde, Petra também se torna atriz e embarca para Nova York em busca de Elena. Tem apenas pistas: filmes caseiros, recortes de jornal, diários e cartas. A todo momento Petra espera encontrar Elena caminhando pelas ruas com uma blusa de seda. Pega o trem que Elena pegou, bate na porta de seus amigos, percorre seus caminhos e acaba descobrindo Elena em um lugar inesperado. Aos poucos, os traços das duas irmãs se confundem, já não se sabe quem é uma, quem é a outra. A mãe pressente. Petra decifra. Agora que finalmente encontrou Elena, Petra precisa deixá-la partir.

Direção PETRA COSTA | Roteiro PETRA COSTA e CAROLINA ZISKIND | Elenco ELENA ANDRADE, LI AN e PETRA COSTA | Produção BUSCA VIDA FILMES

Classificação Livre
Entrada Franca

MOSTRA DE DRAMATURGIAS DE SUBJETIVIDADES SELVAGENS
2 ações cênicas a partir de textos teatrais de Francisco Carlos
Em parceria com o Projeto_ENTRE apresentam-se estas duas leituras encenadas da obra do grande autor amazonense.

22.05 Quarta às 21h
Românticos da Idade Mídia
icone-para-trabalhos-como-ator

Uma freira, Adele Fatal, depois de ter seu corpo queimado pela água de um banho sagrado, foge do convento e se embrenha por uma floresta mal assombrada até chegar numa metró- pole onde resolve abrir uma sauna-mística e se põe a prática de rituais religiosos- sadomasoquistas e experiências midiáticas na companhia de um reverendo-suicida (Jim Jones?), um punk, Lobo-Podre, uma cantora agressiva Jane-Joia, um adolescente-melancólico, Ângelo, uma ninfeta-órfã-adotada por Adele, Miss Blair e uma TV-Monstra. Apavorados com os monstros-urbanos que assombram a grande-cidade, organizam um pic-nic numa floresta mal-assombrada, perambulam pela floresta, segue a procissão apocalíptica que se atira suicida na fúria de uma cachoeira em meio a selva, a la Jim Jones. O ego-duplo de Lobo Podre foge da procissão-suicida volta a metrópole onde enfrenta um julgamento e um enterro a lá coveiro- de-Hamlet. No final todos se encontram num paraíso-Disneylândia.

Classificação Livre
Entrada Franca

29.05 Quarta às 21h
Cavalo Hidrelétrico
icone-para-trabalhos-como-ator

No centro da Selva Central Amazônica, um Cavaleiro-Espacial, o Capitão-X-2-Espacial constrói uma cidade de Aço, a exemplo daquela cidade do futuro, cidade das máquinas, Metrópolis, no filme homônimo de Fritz Lang. Para que a realização desse louco empreendimento, a construção de XUPAESPACIAL, a cidade de aço, no centro da selva central, se tornasse viável, esse Capitão-Espacial-Sinistro projetou instalar a cidade-espacial sobre uma grande ferraria dos índios Ashaninka, para que dessa ferraria se extraísse aço e ferro para a construção da alucinada cidade. Desse Cavalheiro-Estrangeiro, acompanhado por seu Cavalo-Robô, suspeitava-se ser espião-aéreo de um outro planeta ou de alguma nação super-rica ou de um laboratório-multinacional. Durante 100 dias, o diabólico-Capitão manteve aprisionado na ferraria, que logo foi transformando-se no subterrâneo da cidade, mais de 2000 índios Ashaninka, para que construíssem a cidade de ferro e máquinas do louco Capitão. Uma Mulher-imaginária, Maria Solaris, aparece na cidade-fantasma-de-ferro se dizendo a Mulher- que-veio-com-o-tempo e neta de uma índia-morta-barbaramente por caçadores-de-índios. Fascinado por essa criatura-misteriosa-feminina o Capitão X 2 convida-a para ser a Raínha de Xupaespacial, a cidade de aço e das máquinas. Diante da recusa dela o Capitão escraviza a Mulher, obrigando Maria Solaris a varrer-eternamente os lixos-diários da cidade, lixos- nucleares. Na floresta, nos limite da cidade, o fantasma de uma Índia-na-Sombra de 300 anos aparece para Maria Solaris anunciando que um Xamã Ashaninka, o Chefe-Xamã-Samuel tem um recado divino para ela…

Classificação Livre
Entrada Franca

2012

Cordel da Arte Contemporanea Brasileira_Kristofer Paetau
icone-para-trabalhos-como-ator

(…)
Me parece que as “poéticas”
tomou conta no geral,
fotografia, escultura,
toda arte visual.
Hoje tudo é “poética”
ficou de lado a estética,
não acho isso legal. (…)

in “Cordel da Arte Contemporânea Brasileira”, Isael de Carvalho (ed. Kristofer Paetau), 100 ex., Rio de Janeiro

Curadoria Marta Mestre

Vernissage dia 06 de Dezembro às 20h
Visitação de quarta a domingo de 14h às 20h
Até 22 de dezembro

SÉRGIO PORTO 83-97_ANTOLOGIA
icone-para-trabalhos-como-ator

Qual a duração da memória artística? O que resta como potencia e continuidade? “Sérgio Porto 83-97” é uma exposição a partir dos materiais de arquivo aos artistas, curadores, fotógrafos, público e imprensa que intervieram ou acompanharam a programação do “Sérgio Porto” entre 1983 e 1997.

A convite do Projeto_ENTRE a curadora Marta Mestre cria esta antologia sobre a programação do Sergio Porto em duas décadas.

Abertura 25 de Outubro
Visitação de quarta a domingo de 14h às 20h
até 01.12

INTERCÂMBIOS Debate
25.10 terça às 19h
icone-para-trabalhos-como-ator

Um debate sobre intercâmbios culturais nas artes performativas entre o Brasil e outros países.
Debatedores
Gustavo Ciríaco – coreógrafo, bailarino e curador do Festival ENTRE_Lugares
Joelson Gusson – curador do Projeto_ENTRE, critico da revista inglesa TotalTheatre Magazine e jurado do TotalTheatre Awards de Edimburgo
Marta Vieira – produtora Brasil/Portugal

Classificação Livre
Entrada Franca

MOSTRA HIFEN DE PESQUISA-CENA Curadoria_Diogo Liberano
de 03 de agosto a 23 de setembro
icone-para-trabalhos-como-ator

Em uma grande parceria com o diretor Diogo Liberano o Projeto_ENTRE recebe a Mostra Hífen, focada na produção universitária, com espetáculos, ensaios abertos e performances.

03 a 05.08
Sex às 18h e Dom às 17h
UCRÂNIA 3 – ensaio aberto

Teatro de véspera realça o dia que antecede o momento que se espera. Inaugura uma nova relação com o presente na medida em que se estabelece na necessidade de estar sempre em processo.
Direção: Bernardo Lorga | Dramaturgia criada em processo: Cacá Ottoni | Elenco: Analu Chaves, Clarice Lissovsky e Paula Durso
Classificação Livre
R$ 10 inteira | R$ 5 Lista Amiga e Meia

10 a 12.08
Sex e sab às 19h e Dom às 18h
PRIMAVERA LESTE – pesquisa-cena

Alex, Brenno e Ítalo, estudantes de História, sequestram sua professora, Ana. O cativeiro dura apenas uma noite, em que os três, vazios de perspectivas, buscam uma saída, onde há apenas um desfecho inevitável.
Direção: Isadora Malta | Dramaturgia: Diogo Liberano | Elenco: Dominique Arantes, João Marcelo, Lucas Canavarro e Renan Brandão
Classificação indicativa: 14 anos
R$ 20 inteira | R$ 10 Lista Amiga e Meia

17 a 26.08
Sex e sab às 19h e Dom às 18h
ESTUFA – pesquisa-cena

O ambiente é uma Estufa, um pequeno ecossistema onde podemos observar o desenvolvimento de seus materiais vivos. A ação que se desenrola é uma analise sobre as experiências que recolhemos de nossas vidas.
Direção: Nina Balbi | Dramaturgia: Nina Balbi, Nina La Croix, Isabella Almeida e Pedro Pedruzzi | Elenco: João Pedro Orban, Julio Castro, Olivia Zisman, Ticiano Diógenes e Tomás Braune
Classificação indicativa: 16 anos
R$ 10 inteira | R$ 5 Lista Amiga e Meia

31.08 a 02.09
Sex e sab às 19h e Dom às 18h
LISÍSTRATA – pesquisa-cena

Lisístrata é a história de uma mulher que resolve acabar com a guerra na Grécia através de uma estratégia jamais pensada antes: a greve de sexo.
DIREÇÃO MARÍLIA GURGEL DRAMATURGIA ARISTÓFANES ELENCO BAYRON ALENCAR, DAVI PALMEIRA, LETÍCIA BIANCHI, LÍVIA ATAÍDE, TAMIRES NASCIMENTO E YVES BAETA
Classificação indicativa: 16 anos
R$ 20 inteira | R$ 10 Lista Amiga e Meia

07 e 09.09
Sex às 18h e Dom às 17h
INVENTÁRIO_PERFORMANCE

Buraco profundo. Além do corpo e através dele há algo. Algo que não sei, mas que procuro porque nele me encontro e encontro você.
CRIAÇÃO E PERFORMANCE ANA BEATRIZ FIGUEIREDO E TAMÍRIS SPINELLI
Entrada Franca

14 a 16.09
Sex e sab às 19h e Dom às 18h
VAZIO É O QUE NÃO FALTA, MIRANDA – pesquisa-cena

Quatro atrizes e um diretor tentam encenar a obra Esperando Godot de Samuel Beckett, sem sucesso.
DIREÇÃO E DRAMATURGIA DIOGO LIBERANO
ELENCO ADASSA MARTINS, CAROLINE HELENA, FLÁVIA NAVES E NATÁSSIA VELLO
Classificação indicativa: 16 anos
R$ 20 inteira | R$ 10 Lista Amiga e Meia

21 e 23.09
Sex às 18h e Dom às 17h
AUTO-RETRATO_PERFORMANCE

Auto-retrato é um trabalho sobre a fragilidade da imagem, que busca evidenciar o aspecto múltiplo e fragmentado de nossa camada mais superficial.
CRIAÇÃO E PERFORMANCE NATÁSSIA VELLO
ELENCO ADASSA MARTINS, CAROLINE HELENA, FLÁVIA NAVES E NATÁSSIA VELLO
Classificação indicativa: 16 anos
Entrada Franca

21 a 23.09
Sex e sab às 19h e Dom às 18h
ADORMECIDA – pesquisa-cena

Duas amigas são teletransportadas para um programa de televisão, onde todos os desejos são realizáveis, só é preciso matar. Tudo é possível, e a pergunta é uma só: qual é o seu desejo?
DIREÇÃO DAVI GIORDANO DRAMATURGIA CAMILO PELLEGRINI ELENCO ATHENA BEAL, JESSICA LAGROTA, LEANDRO REBELLO, LUDMYLA ARÊAS, TALITA SILVEIRA
Classificação indicativa: 18 anos
R$ 20 inteira | R$ 10 Lista Amiga e Meia

OF/NIET_tg Stan Bélgica
05 a 07 de abril às 21h
icone-para-trabalhos-como-ator

Abrindo a sua segunda residência à frente do ECM Sérgio Porto o Projeto_ENTRE traz para o Rio de Janeiro o espetáculo Of/Niet do grupo belga TG Stan.

Surgido em 1989, o grupo é formado por Damiaan De Schrijver, Frank Vercruyssen, Jolente De Keersmaeker e Sara De Roo. Ao lado do iluminador Thomas Walgrave, o quarteto vai encenar a comédia dramática que une textos de mestres ingleses – Party Time (1991), de Harold Pinter, e Relatively Speaking (1965), de Alan Ayckbourn. As duas peças tratam de falsas aparências. Na montagem, falada em holandês, com legendas em português, cenas de Pinter são usadas no início e no final. Repletas de sarcasmo, abordam enganos à primeira vista inocentes. Ayckbourn recheia o espetáculo. É dele a comédia de erros sobre dois casais envolvidos em um enredo de mentiras. O jovem Greg (Frank) visita a casa dos supostos pais da amada Ginny (Sara) para pedi-la em casamento. Na verdade, a residência é do antigo amante dela, Philip (Damiaan), e de sua mulher, Sheila (Jolente). A produção vem divertindo plateias na Europa desde a estreia, em 2006.

Classificação Livre
R$ 20,00 inteira | R$ 10,00 meia

2011

FORMAÇÃO DE ARTISTAS Debate
21.09 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Debate sobre a formação de artistas de teatro e pesquisadores pelo ponto de vista de jovens profissionais, que se formaram ha pouco tempo.
Curadoria Daniele Ávila

Entrada Franca
Classificação Livre

PRODUÇÃO CULTURAL Debate
01.06 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

O debate do segundo encontro do módulo Produção Cultural do Observatório Constante será sobre Leis de Incentivo, com representantes da Secretaria Municipal de Cultura, da Secretaria de Estado de Cultura e da Secretaria de Fomento do MinC.
Curadoria Daniele Ávila

Entrada Franca
Classificação Livre

CROWDFUNDING E REALIZAÇÃO DE MICRO PROJETOS Debate
13.04 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Encontro com artistas e pensadores se transformam estrategicamente em oportunidades de convivência, estudo e trabalho de colaboração em torno das questões que são urgentes ao nosso tempo e à arte que lhe diz respeito.
Nesta noite discutiremos as possibilidades de patrocínio através dos mecanismos de crowdfunding.
Curadoria: Daniele Ávila

Entrada Franca
Classificação Livre

FORTE E LEVE – Situação 1 Jacuzzi Performance/conversa
Abertura 05.02
Encontros dias 12, 19 e 26.02
icone-para-trabalhos-como-ator

Em parceria com o Projeto_ENTRE o artista contextual Ducha promove um encontro estético com banho de jacuzzi/caixa d’água juntamente com conversar descontraidas sobre arte contemporânea e seu impacto no cotidiano das pessoas.

Curatoria Traplev

2010

CURADORIA Debate
15.12 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Debatedores: Nayse Lopes e Fabio Ferreira
Pensar a curadoria de espaços, festivais e mostras. Qual deve ser o olhar do curador sobre os espetáculos. Como diferir a curadoria da programação.
Curadoria: Daniele Ávila

Entrada Franca
Classificação Livre

FORMAÇÃO Debate
31.11 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Neste primeiro módulo com o tema Formação professores de importantes escolas de teatro do Rio falam sobre formação de artistas.
Debatedores: Celina Sodré (CAL/Instituto do Ator); Vitor Lemos (UniverCidade); Daniele Geammal (Martins Penna).
Curadoria: Daniele Ávila

Entrada Franca
Classificação Livre

INTERDISCIPLINARIDADE Debate
13.10 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Palestra/debate com o diretor Jeferson Miranda .
Os artistas convidados vão conversar sobre a relação que estabelecem, nas suas áreas de atuação, com outras artes. A proposta do debate é pensar o teatro na sua relação com outros campos de saber e fazer, e não como uma categoria isolada.
Curadoria: Daniele Ávila

Entrada Franca
Classificação Livre

FOMENTO Debate
22.09 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Debatedores: Os diretores de teatro Felipe Vidal e Moacir Chaves e Henrique Diaz.
A proposta do debate é relembrar o que já foi feito pela classe artística em prol de uma política cultural de fomento para o Rio de Janeiro e pensar o que pode ser feito a partir de agora; conversar sobre o que significa "fomento" e pensar como os diversos setores da prática teatral (artistas, produtores, críticos, curadores) podem estar envolvidos na discussão.
Curadoria: Daniele Ávila

Entrada Franca
Classificação Livre

AUTORIA Debate
19.08 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

No dia 19 de agosto, às 20h, o tema será o conceito de autoria, pensado a partir de diferentes instâncias da criação cênica – não apenas no âmbito da escrita dramatúrgica, mas também do ponto de vista da direção, do trabalho do ator, etc.
Debatedores: Pedro Brício, Christianne Jatahy e Joelson Gusson
Local: Café do Teatro
Curadoria: Daniele Ávila

Entrada Franca
Classificação Livre

CAPACETE: ENCONTROS IMPRESSOS (ESPAÇO) Palestras
Datas dos encontros: 17.03, 21.04, 16.06, 07.07 e 09.08 sempre às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

O projeto é uma continuação das Palestras CAPACETE que vinham acontecendo, e agora terá um foco através do espaço Impresso da produção e edição de 6 novos números da publicação RECIBO de artes visuais que foi produzida ao longo do ano de 2010 através do edital de Revistas Cultura e Pensamento 2010.
CAPACETE entretenimentos propõe ser um “espaço-tempo” de convergências multi-disciplinar através do formato “salão de conversas”. Em cada um desses encontros, um artista estrangeiro em residência e um artista local apresentam e discutem seus trabalhos com o público, fazendo uso de um projetor de vídeo e computador portátil.
Curadoria: Helmut Batista

Entrada Franca
Classificação Livre

TEATRO CONTEMPORÂNEO NO BRASIL Debate
02.06 às 20h
icone-para-trabalhos-como-ator

Encontros mensais com artistas e pensadores se transformam estrategicamente em oportunidades de convivência, estudo e trabalho de colaboração em torno das questões que são urgentes ao nosso tempo e à arte que lhe diz respeito.
Os debatedores José da Costa e Bel Garcia falam do livro Teatro Contemporâneo no Brasil
Curadoria: Daniele Avila

Entrada Franca
Classificação Livre

PROJETO COLEÇÃO ROBERTO PEREIRA
icone-para-trabalhos-como-ator

03.05 às 20h
A Coleção Roberto Pereira começa com a coreógrafa Lia Rodrigues, figura incontornável da dança contemporânea carioca, fundadora e criadora do festival Panorama da Dança e grande militante política do lugar da dança na sociedade. Lia será entrevistada pela professora e crítica de dança Silvia Soter. Para este dia de lançamento das quartas para a dança, haverá a apresentação do vídeo em homenagem ao Roberto Pereira, feito pela coreógrafa Andréa Bardawil (CE).
07.04 às 20h
No segundo encontro uma conversa entre a professora e dramaturga Beatriz Cerbino e a coreógrafa Esther Weitzman, com mediação de Flávia Meireles.
12.05 às 20h
Coleção como uma forma de recolher do mundo olhares, trajetórias e obras, em discursos sobre a arte, a vida e a política. O estar junto, o fazer para o outro. Passado e futuro se tornam presentes em conversas com artistas e pensadores da dança e da performance contemporâneas. Um projeto de memória em homenagem ao educador, historiador e crítico de dança Roberto Pereira, falecido em 2009.
Neste terceiro encontro uma conversa entre a coreógrafa Dani Lima e o diretor e performer Alex Cassal.
Curadoria Gustavo Ciríaco

Entrada Franca
Classificação Livre

PEQUENAS AÇÕES PARA RESULTADOS MEDIATOS
icone-para-trabalhos-como-ator

14.04 às 20h
Capitaneados pela pesquisadora Thereza Rocha, encontros com artistas e pensadores se transformam estrategicamente em oportunidades de convivência, estudo e trabalho de colaboração em torno das questões que são urgentes ao nosso tempo e à arte que lhe diz respeito.
Continuando a discussão do primeiro encontro da série, que não foi bastante para esgotar o assunto, teremos novamente o tema Crítica, você tem medo de que?
Debatedores Daniel Schenker e Christiane Jatahy
07.04 às 20h
Daniele Ávila e convidados comparecem para uma boa discussão sobre o estatuto da crítica frente à cena contemporânea. Daniele é pesquisadora e crítica de teatro responsável pela Questão de Crítica, revista eletrônica de crítica e estudos teatrais.
Debatedores Daniela Ávila e Fábio Ferreira
Curadoria Thereza Rocha

Entrada Franca
Classificação Livre