Programação Agosto_2016

TEATRO

BONECAS QUEBRADAS

Bonecas Quebradas
De 12 a 22 de agosto
Quinta a sábado as 21h e domingo e segunda as 20h
Valor: 20,00 (inteira) R$ 10,00 (meia)
Classificação: 16 anos
Capacidade: 40 lugares

Bonecas Quebradas trata dos assassinatos sistemáticos de mulheres em Ciudad Juarez, México, na divisa com El Paso, no Texas. Contemplado no edital Rumos Itaú 2014-2015, inicialmente, o projeto buscava auscultar a imagem da Boneca Quebrada, maltratada, despida, riscada, despedaçada, como nos devaneios mais infantis, para investigar os motivos de seu despedaçamento.
Essa imagem instigou as atrizes idealizadoras do projeto a participar da dor de algo desconhecido e assustador, que acabou levando toda a equipe de criação ao México para descoberta dos casos de violência extrema contra mulheres na fronteira com o maior consumidor de drogas do mundo: os EUA.

Encenação: Verônica Fabrini
Dramaturgia de processo: Isa Kopelman, Lígia Tourinho, Luciana Mitkiewicz e Verônica Fabrini
Dramaturgo convidado: João das neves
Elenco: Ilea Ferraz, Lígia Tourinho e Luciana Mitkiewicz
Direção musical: Silas Oliveira
Iluminação: Bruno Garcia
Criação de vídeos: Júlio Matos e Coraci Ruiz (Laboratório Cisco)
Cenário e figurinos: Rodrigo Cohen
Preparação vocal: Favio Lauria
Direção técnica: Tabatta Martins
Direção de produção: Cau Fonseca
Idealização de projeto: Lígia Tourinho E Luciana Mitkiewicz
Realização: Bonecas Quebradas Teatro E Mítica!

TRAN_SE

De 27 a 29 de agosto
Sábado e segunda as 21h, domingo as 20h
Valor: R$ 20,00 inteira R$ 10,00 meia R$ 15,00 lista amiga R$ 10,00 passaporte cultural
Classificação: 16 anos
Capacidade: 98 lugares

Tran¬_se é um misto de monólogo, peça instalação, desfile de moda e show travestido. É uma comemoração das liberdades de gênero e de todos os modos de constituição familiar. Ato de auto¬exposição e de auto¬flagelação catártica. Performado por Joelson Gusson e pela diva¬punk¬roqueira, mundialmente conhecida como Esmeralda de los Niños, drag queen furtiva que vive em Copa na companhia de sua pantera adestrada Fára Fáuceti.

Dramaturgia, Direção e Direção de Arte – Daniela Amorim e Joelson Gusson
Performance – Joelson Gusson
Figurinos – Paula Stroher
Iluminação – Paulo Cezar Medeiros
Visagismo – Rafael Fernandez
Preparação vocal – Jorge Maia
Trilha Sonora – Biltre
Preparação corporal – Antonio Rodrigues
Programação visual – Balão de Ensaio
Fotografias – Paula Kossatz
Divulgação – Cristóvão Chevalier
Produção executiva – Igor Veloso
Direção de produção – Aline Carrocino

DANÇA

SUAVE

Suave (© Peter Ho_nnemann) (4)
De 06 a 08 de agosto
sábado e segunda as 21h e domingo as 20h
Valor: 10,00 (inteira) R$ 5,00 (meia)
Classificação: 12 anos
Capacidade: 98 lugares

Temporada popular do espetáculo de dança SUAVE, da coreógrafa Alice Ripoll. Inspirado no instigante movimento do passinho e apresentado numa ótica contemporânea, o espetáculo é formado 10 dançarinos(as) da zona norte carioca. Sucesso de crítica e público, com 2 turnês pela Europa no currículo (2015 e 2016) e coproduzido pelo Festival Panorama, o espetáculo volta a entrar em cartaz com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura, no âmbito da programação cultural do Jogos Olímpicos Rio 2016, no Teatro Angel Vianna (Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro) e no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto.

Direção: Alice Ripoll :: Interpretação: Gabriel Tiobil, Gbzinho Dançarino Brabo, Kinho JP, Nyandra Fernandes, Pablo Poison, Rodrigo Ninja, Romulo Galvão, Sanderson Dançarino Brabo, Thamires Candida, VN Dançarino Brabo :: Assistência de Direção: Alan Ferreira :: Iluminação: Andrea Capella :: Direção Musical de Funk: Dj Vinimax :: Programação Visual: Daniel Kucera :: Figurino: Paula Stroher :: Assistente de Figurino: Macela Domingos :: Costureira: Marenice Alcantara :: Assistente de Produção: Julia Pimenta :: Produção Executiva: Rafael Fernandes :: Apoio: Em Branco Acervo Contemporâneo, Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro :: Produção: Entrando na Dança 2014 :: Coprodução: Festival Panorama 2014/Cariocas na Cidade das Artes :: Realização: Trio Carioca Produções

PERFORMANCE

SOLOS DE MEMÓRIA

Solos de Memoria-FotoVitorJorge
Temporada: de 03 a 22 de Agosto
Horário: Quarta à Segunda as 18h
Valor: Entrada franca
Classificação: 12 anos
Capacidade: 35 pessoas

Solos de Memória tem sua estrutura criada a partir da ideia de que cada ator também é autor de sua própria fala, produzindo um solo a partir de um depoimento íntimo, que propõe uma investigação sobre o limite entre o público e o privado. São quatro minimonólogos com relatos da memória dos artistas e da artista plástica Anna Bella Geiger.

Direção e idealização: Morena Cattoni
Textos e atuação Daniel Chagas, Gisela de Castro, Marcéli Torquato, Natasha Corbelino
Colaboração artística: Marcio Freitas
Figurinos: Luiza Marcier

MÚSICA

ANDRÉ GRABOIS, LUCAS FIXEL E LEANDRO CUNHA

Rebentação
LANÇAMENTO DO DISCO “REBENTAÇÃO”
03 de Agosto
Quarta-feira às 21:00h
Valor: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia e lista amiga)
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

A parceria de Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro rendeu à Música Brasileira inúmeras pérolas, imortalizadas nas vozes de intérpretes como Maria Bethânia, Nana Caymmi e Renato Braz, além do próprio Dori. Há 47 anos a dupla compõe belas e sofisticadas canções que celebram o Brasil profundo resistente na literatura de um Jorge Amado ou de um Guimarães Rosa, na rotina das vilas de interior e litoral, e também o Brasil mais cosmopolita das crônicas de amor e dor.

Voz: André Grabois
Bateria e Arranjos: Lucas Fixel
Violão e Guitarra: Leandro Cunha
Contrabaixo acústico: Bruno Repsold
Piano elétrico: Gilmar Moraes

BRUNO BATISTA

Bruno Batista
LANÇAMENTO DO DISCO “BAGAÇA”
04 de Agosto
Quinta-feira às 21:00h
Valor: Entrada Franca
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

“Bagaço” é o novo e terceiro trabalho do maranhense Bruno Batista e reafirma a canção como matriz de sua música, que vem renovada, leve, com melodias precisas e letras bem elaboradas. Os elementos habituais continuam em evidência, mas agora também se revelam influências da música do Caribe.

Teclado e Violão: Ricardo Prado
Baixo: Meno del Pichai
Guitarra: Rovilion Pascoal
Bateria e Percussão : Gustavo Souza

PRIMAVERA DAS MULHERES

Primavera_das_Mulheres_DIVULGAÇÃO
Feminismo de volta à cena
05 de Agosto
Sexta-feira às 21:00h
Valor: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia e lista amiga)
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

O espetáculo “Primavera das Mulheres: um show- manifesto” chama a atenção para a defesa dos direitos já alcançados pelas mulheres e invoca à mobilização na luta por mais direitos através de músicas, textos, dança, imagens e de palavras de ordem já entoadas nas manifestações.

Voz: Cristina Bhering, Elisa Addor, Glauce Pimenta Rosa, Ilessi, Laura Castro e Luciana Jablonski
Piano e violão: Cristina Behring
Cavaquinho e Percussão: Diana Nascimento
Violão e Cavaquinho: Manoela Marinho
Baixo: Luciana Requião
Percussão: Marina Chuva
Sopros: Maria Souto
Coro: Gabriela Bhering, Maria Rita Taunay e Tatiana Maffra
Atrizes/Ator: Barbara Aires, Karine Telles, Glauce Pimenta Rosa, Silvia Patricia e Oliver Costa.
Dança: Aline Valentim, Camile Salles, Glauce Pimenta Rosa e Silvia Patricia
Direção e Roteiro: Laura Castro
Direção Musical: Cristina Bhering e Diana Nascimento

LILA

Lila por Filipe Rapo
17 de agosto
Quarta-feira às 21h
Valor: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia e lista amiga)
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

Com seu primeiro trabalho solo “Lila” lançado em 2015, a cantora já foi uma das três indicadas pelo júri de especialistas do Prêmio Multishow como “Artista Revelação” e também foi escolhida como uma das apostas do Spotify para o ano de 2016. Sua musica “Aparição” foi a mais compartilhada da plataforma de streaming, superando artistas como Justin Bibier e M.I.A.

Voz: Lila
Teclado e Baixo Synth: Ricardo Rito
Bateria e Mpc: Pedro Richaid
Guitarra E Violão: Pedro Silveira

EXPOSIÇÕES

GAVETA DE MEMÓRIAS

vitor_jorge-9
Até 22 de Agosto
Quarta a Segunda das 14 às 22h
Valor: gratuito
Galeria Marcantonio Vilaça 1

O projeto produz uma obra inédita de Anna Bella Geiger e documenta o seu processo de criação e produção em vídeo. O resultado é uma vídeo-instalação compondo a obra e o vídeo. A obra é uma gaveta que preenchida com cera e outros materiais. No vídeo, Anna Bella fala de sua criação, de sua vida e de seu trabalho. Entre 03 e 22 de AGOSTO a obra é palco de intervenções performáticas de 5 atores que tratam de temas afins como gavetas, memórias e fronteiras.

Exposição:
Curadoria: Anna Bella Geiger
Idealização e direção geral: Julio Augusto Zucca
Coordenação do projeto: Jéssica Araujo
Projeto expográfico: Renata Valle

Video Documental:
Diretor de fotografia: Bruno Fochi
Técnico de som direto: Felipe Brenha
Edição e finalização: Foca Filmes
Trilha sonora: Alfredo Sertã

Publicidade

Programação Junho_2016

TEATRO

SE EU FOSSE IRACEMA

Se eu fosse Iracema_Sesc Tijuca_Foto IMATRA (1)

Até dia 06

sexta, sábado e segunda às 20:00h
domingo às 19:00h

R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia e lista amiga)

Galeria Marcantonio Vilaça 2

16 anos

Capacidade: 20 lugares

Se eu fosse Iracema propõe um olhar sobre o universo indígena brasileiro, transitando entre a tradição e a sua situação atual. O espetáculo usa referências que vão de mitos e rituais de várias etnias originárias do país a aspectos como a demarcação de terras e outros direitos fundamentais, muitas vezes negligenciados.

 

Intérprete: Adassa Martins :: Dramaturgia: Fernando Marques :: Direção: Fernando Nicolau :: Iluminação e cenografia: Licurgo Caseira ::Figurino e caracterização: Luiza Fardin :: Trilha sonora original e desenho de som: João Schmid :: Assistente de direção: Luca Ayres :: Produção executiva: Clarissa Menezes :: Realização e produção: 1COMUM :: Idealização: Fernando Nicolau e Fernando Marques

DANÇA

3 PONTOS …_FOCUS CIA DE DANÇA

INTERPRET. _ CRE_DITO ANDRE_ PINOLLA - focus cia de danc_a.JPG
de 04 a 13

sábado, domingo e segunda às 20h

R$ 30,00 (inteira)  R$ 15,00 (meia) R$ 10,00 (ingresso social)

Livre

Capacidade: 98 lugares

Pathways, Um a um, Interpret. e Strong strings compõem um espetáculo que inicia fortemente uma pesquisa em duos. Com uma trilha musical que vai de Johann Sebastian Bach a Nirvana, 3 pontos…

Em cena, os bailarinos vão de movimentos expansivos, que rasgam o espaço, a gestos pequenos e sutis. Quedas agressivas e imediatas são, também, um ponto marcante. Solos, duos, trios e quartetos são combinações usadas de várias maneiras durante o espetáculo. Na exploração do espaço, o coreógrafo também brinca com o estar aglomerado, o desejo de ocupar o mesmo lugar ou de explorar amplamente a cena.

 

Direção de Coreografia: Alex Neoral :: Direção de Produção: Tatiana Garcias :: Bailarinos: Alex Neoral, Carol Pires, Clarice Silva, Cosme Gregory, Felipe Padilha, Gabriela Lima, Marcio Jahú e Mônica Burity :: Produção: Nathalia Atayde :: Assistente de Produção: Marcella Alves :: Iluminação: Binho Schaefer :: Técnico de Iluminação: Bruno Barreto :: Técnico de Palco: Welisson Rodrigues :: Confecção de Figurino: Jacira Garcias :: Assessoria de Imprensa: Monica Riani :: Designer Gráfico: Infinitamente Estúdio de Criação :: Músicos convidados: Daniel Silva (Cello), Gretel Paganini (Cello), Luciano Correa (Cello), Nikolay Sapoundjiev (Violino)

DANÇAR NÃO É PRECISO

danc_ar na_o e_ preciso - Renato Mangolin

De 18 a 27

sábado, domingo e segunda às 20h

R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)

10 anos

Capacidade: 98 lugares

Em 2016, a Esther Weitzman Companhia de Dança consolida sua expressiva atuação no quadro da dança nacional com dezessete anos de trabalho continuado. Em sua nova criação, o diálogo outrora realizado com a literatura cede lugar agora à conversa com a pintura, nomeadamente a de Jackson Pollock.

 

Realização: Esther Weitzman Companhia de Dança LTDA :: Produção: Abraço Produções :: Produtores Responsáveis: Sabrine Muller e Manuela Weitzman

MÚSICA

BANDA NITÚ – Lançamento do disco “Nitú”

Banda_Nitu_por_Frederico_Santiago

01 de Junho

Quarta 21h

R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia e lista amiga)

Livre

Capacidade: 130 lugares

O Nitú começou em 2013 como uma forma de expressão do amor entre Raquel Dimantas e Ricardo Richaid. Amor esse que rapidamente foi agregando outros integrantes. Com Cadu Messina, Eduardo Verdeja e Frederico Santiago no projeto, cada um dos integrantes contribui com suas peculiaridades para formar um som que brinca com influências do jazz ao afrobeat, envolto de nuances esotéricas e celtas. Após se tornarem sucesso acidental na Índia hoje eles buscam conquistar também os fãs brasileiros. Para isso, lançam o disco “Nitú”, com músicas que representam a essência e o trabalho realizado com carinho durante esses anos, marcando o início de uma nova fase para a banda.

 

Baixo, Teclados e Voz : Raquel Dimantas  :: Guitarra,Teclados e Voz: Ricardo Richaid  :: Guitarra : Eduardo Verdeja  :: Bateria e flauta : Frederico Santiago  :: Percussão eletrônica : Carlos Messina

CAIO PRADO

CaioPrado_Por_Rafo_Coelho

08 de Junho

Quarta 21h

R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia e lista amiga)

Livre

Capacidade: 130 lugares

Com uma proposta conceitual camerística e caráter minimalista, o disco foi construído em torno de um violão e um quarteto de cordas; quebra as fronteiras do clássico e traz a erudição para o universo popular. Para romper o silêncio e reintegrar as reflexões distanciados por nossos momentos de auto- explosão, nada tão recomendável e provocativo do que Caio Prado em “Variável Eloquente”.

 

Voz: Caio Prado  :: Violão: Felipe Rodrigues  :: Violoncelo: Federico Puppi

ANDRÉ MUATO_EMARANHADO + RELÓGIO DE DALÍ

Andre_Muato_Por_Rodrigo_Sabatinelli3

RELOGIO DE DALÍ_Por_Andreia Mota
09 de Junho

Quinta 21h

R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia e lista amiga)

Livre

Capacidade: 130 lugares

Nessa proposta os dois projetos artísticos propõe uma fusão onde através de uma combinação estética suas linguagens se encontram em uma formação musical pouco comum, duas baterias, dois contrabaixos e dois violões de sete cordas. São exploradas as diversas combinações possíveis entre os instrumentistas, em um grande encontro criativo regado a improvisação e sensibilidade.

 

Voz e Violão de 8 cordas: André Muato :: Violão de 7 cordas: Victor Ribeiro :: Bateria: Felipe Cotta
Bateria: Lourenço Vasconcellos :: Contrabaixo : Pablo Arruda :: Contrabaixo de Victor: Bruno Repsold  :: Saxofones : Yuri Villar

 PAULO HO_Show EX_COMPANHEIRO

PauloHo_Por_Felipe_Leopardo

10 de Junho

Sexta 21h

R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (meia) e R$ 10,00 (lista amiga)

Livre

Capacidade: 130 lugares

O cantor e compositor Paulo Ho apresenta o show do recém-lançado disco EX_COMPANHEIRO e marca o lançamento do seu primeiro videoclipe “Guerra de Gorila”. 
O show é composto por um desenho dramatúrgico, criado a partir de experiências do próprio intérprete. O repertório traduz e incorpora a dramaturgia do show, inspirado tanto na linha rock progressivo, quanto na linha dance e pop.

 

VozPaulo Ho :: Baixo e sintetizador: Guila :: Bateria e programações eletrônicas : Marcelo Vig  :: Teclados: Ricardo Rito  :: Guitarra:  Thiago Vivas  :: Direção musical: Lucas Vasconcellos

 BILTRE – Lançamento do clipe “Piranha”

Biltre_por_Bel_Junqueira

15 de Junho

Quarta 21:00h

R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia e lista amiga)

Livre

Capacidade: 130 lugares

A banda Biltre apresenta performances carismáticas e irreverentes, com arranjos vocais bem-humorados, que remetem à década de 50, ao estilo “Trio Irakitan”, tudo isto uma sonoridade pop mesclada com batidas sintéticas.
No Sergio Porto, a banda faz o lançamento do clipe de “Piranha”, uma animação criada por Daniel Sake, e apresenta as músicas de seu próximo EP incluindo composições inéditas e parcerias com novos compositores e artistas.

Voz: Vicente Coelho :: Guitarra,Teclados e Voz: Arthur Ferreira :: Guitarra,Teclados e Voz: Diogo Furiere :: Guitarra,Teclados e Voz : Dioclau Serrano

 

GABRIEL VERSIANI_Turnê “Ainda Sambo

Gabriel_Versiani_Por_Ma_rcia_Moreira

22 de Junho

21h

R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (Meia e lista amiga)

Livre

Capacidade: 130 lugares

O cantor e compositor carioca Gabriel Versiani lança seu segundo CD autoral, “Ainda Sambo”, pelo selo Fina Flor. O trabalho traz dez faixas e é dedicado ao samba-jazz. Versiani conta no CD com as participações especiais de Mart`nália, Joyce Moreno e do naipe da Orquestra Criôla – com arranjos de metais de Humberto Araújo em seis faixas, no clima de gafieira.

 

Voz e Violão: Gabriel Versiani  :: Bateria: Gabriel Guenthe :: Baixo: Ivan Machado :: Teclado: Itamar Assiere :: Percussão: Marcelinho Moreira

 

LuKaSh– Lançamento do disco “FoGo”

LuKaSh_Por_Ana_Alexandrino

23 de Junho

21h

R$ 20,00 e R$ 10,00 (Meia e lista amiga)

Livre

Capacidade: 130 lugares

FoGo é o primeiro trabalho musical autoral da carreira de Lucas Weglinski, agora LiKaSH, gravado no estúdio Audio Rebel, com Direção Musical de Gabriel Ballesté, Produção Musical de Antonio Neves e Direção Artística de Ava Rocha. O repertório surgiu das chamas do encontro entre o cantor e os músicos da banda, que na formação “power trio”, surpreende com uma sonoridade cheia de timbres incomuns, pitadas de jazz, macumba, afrobeat, baladas e funk. Música para sair do senso comum. O espetáculo traz a atmosfera sonora diversa do disco somada à performance de LuKaSh.

 

Voz: LuKaSh :: Guitarra: Gabriel Balleste :: Bateria: António Neves :: Baixo: Miguel Dias :: Percussão: Rodrigo Maré Souza :: Pixel Player: Cristina Amazona

ARTES VISUAIS

EXPOSIÇÃO_NA CORRERIA

13241250_1167656526619513_7150502053120449356_n

Abertura: dia 07 às 19h

Visitação de Quarta a Segunda, das 14h às 22h.

Entrada gratuita

Livre

Imagens, sons e sensações; um passeio pela correria cotidiana vivida em diversos pontos da cidade, sobretudo nas favelas cariocas, através da reflexão sobre temas como arte urbana, espaços de sociabilidade e extermínio da juventude negra.

 

Concepção: Criação Coletiva :: Curadoria: Jardila Baptista, Hugo Bernardo e Vanessa Rocha :: Metodologia de criação: Thiago Florencio :: Direção de produção: Karla Suarez :: Produção executiva: Marcelo de Brito

 

FOTORIO _TRAVESSIA

foto rio - MarceloMacedo1

até 17 de julho

Quarta a Segunda, das 14h às 22h.

Entrada Gratuita

Galeria Marcantonio Vilaça 1

Livre

A exposição individual de Marcelo Macedo tem como ponto de partida a Feira de Antiguidades da Praça XV, onde o autor garimpou álbuns fotográficos familiares que serviram de base para suas intervenções gráficas. Pequenos objetos fotográficos que “incorporam” a memória de pessoas, lugares e situações anônimas e ao mesmo tempo tão familiares. Como indica o título, a exposição materializa uma travessia através de diferentes temporalidades que combinam fotografias, texturas, volumes e movimento, do plano ao tridimensional.

 

Artista: Marcelo Macedo :: Curadora: Julieta Roitman :: Coordenação Geral: Milton Guran :: Produção executiva: Luz Tropical Cultura & Produções Ltda :: Coordenação de Exposições: Julieta Roitman :: Coordenação de Montagem: Alexandre Hypólito :: Produção: Melanie Guerra :: Assitência de coordenação: Thaís Rocha

Multilinguagem

CEP 20.000

13094354_1741203136104664_2586257845220828311_n

30 de Junho

20h

R$ 5,00

Livre

Capacidade: 130 lugares

Cep 20.000, desde 1990, o mais tradicional sarau do Rio de Janeiro traz o melhor nas novas gerações de poetas, músicos, performers da cidade.

Direção e apresentação: Ricardo Chacal.

PROGRAMAÇÃO_Maio

Teatro

CIDADE CORRERIA

Cidade Correria.BetinhoCasasNovas

Cidade Correria não é uma história, é uma invasão, um transbordamento das urgências cotidianas, contradições, alegrias, delírios, feridas e potências. Uma cidade inventada, em deriva, que poderia ser a nossa cidade, ou qualquer cidade. O público é levado a conhecer a cidade caos, cidade contradição, cidade maravilhosa, cidade impedida, cidade carnaval, cidade invenção, cidade revolução. A dramaturgia é fruto de trabalho coletivo, inspirada em imagens, filmes, situações cotidianas, histórias de vida e contos literários de Mia Couto, João do Rio, entre outros. Este trabalho resultou em performances e instalações realizadas na favela da Vila Cruzeiro.

Com: Daniela Joyce, Hugo Bernardo, Igor da Silva, Jardila Baptista, Karla Suarez, Livia Laso, Marcelo Magano, Patrick Sonata, Thiago Rosa, Vanessa Rocha.
Dramaturgia: Criação Coletiva
Direção: Adriana Schneider e Lucas Oradovschi
Metodologia de dramaturgia: Adriana Schneider
Direção de movimento: Cátia Costa e Mariana Mordente
Direção musical e trilha original: Ricardo Cotrim
Funk “Xô sai pra lá”: Marcelo Magano e Ricardo Cotrim
Direção de arte: Fabiana Mimura
Iluminação: Nina Balbi
Treinamento de máscaras balinesas: Lucas Oradovschi
Preparação vocal: Verônica Machado
Assistência de arte: Filipe Duarte
Direção de produção: Karla Suarez
Produção executiva: Marcelo de Brito
Assistência de produção: Lívia Laso e Thiago Rosa
Comunicação: Karla Suarez e Marcelo Magano
Assessoria de imprensa: Gabriel Murga
Artes: Washigton Santana
Cobertura Fotográfica: Maira Barillo, Davi Andres
Formação de plateia: Thamyra Thâmara
Textos da pesquisa: O bebê de tarlatana rosa, de João do Rio; A última chuva do prisioneiro, de Mia Couto; O duelo entre a criança que diz sim e a cidade que diz não, de Thiago Rosa; Banzeiro, de Ricardo Cotrim; Cidade Correria 1, de Thiago Florencio; Cidade Correria 2, de Daniel Guimarães.

Temporada: 7 a 30 de maio
Horário: Sábados e segundas às 21h e domingos às 20h
Valor: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: 12 anos
Capacidade: 98 lugares

SE EU FOSSE IRACEMA

15. Se eu fosse Iracema_Sesc Tijuca_Foto IMATRA (1).jpg

Se eu fosse Iracema propõe um olhar sobre o universo indígena brasileiro, transitando entre a tradição e a sua situação atual. O espetáculo usa referências que vão de mitos e rituais de várias etnias originárias do país a aspectos como a demarcação de terras e outros direitos fundamentais, muitas vezes negligenciados. O monólogo, com atuação de Adassa Martins, dramaturgia de Fernando Marques e direção de Fernando Nicolau, questiona-se: qual a real possibilidade de convivência entre as diferenças?

Intérprete: Adassa Martins
Dramaturgia: Fernando Marques
Direção: Fernando Nicolau
Iluminação e cenografia: Licurgo Caseira
Figurino e caracterização: Luiza Fardin
Trilha sonora original e desenho de som: João Schmid
Preparação vocal: Ilessi
Direção de arte da comunicação visual e projeto gráfico: Fernando Nicolau
Escultura do busto: Bruno Dante
Fotografia: IMATRA
Caracterização das fotos: Luiza Fardin
Assistente de direção: LuCa Ayres
Assistente de figurino: Higor Campagnaro
Cenotécnico: André Salles
Aderecista: Derô Lopes
Mídia social: Teo Pasquini
Assessoria de Imprensa: Bianca Senna e Paula Catunda
Produção executiva: Clarissa Menezes
Realização e produção: 1COMUM
Idealização: Fernando Nicolau e Fernando Marques
Temporada: 14 de maio a 06 de junho
Horários: sextas, sábados e segundas às 20:00h, domingos às 19:00h
Valor: R$ 8,00 (inteira) e R$ 4,00 (meia e lista amiga)
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Galeria Marcantonio Vilaça 2
Classificação: 16 anos
Capacidade: 20 lugares

Exposição Artes Visuais

NA CORRERIA

Uma reflexão sobre o espaço da cidade como ambiente de discursos, trocas e fluxos contínuos com suas disputas e seus meios de circulação, colocando em pauta o direito a cidade e ao uso de seus espaços. O público será levado através de imagens, sons e sensações a passear pela correria cotidiana vivida em diversos pontos da cidade, sobretudo nas favelas cariocas, através da reflexão sobre temas como arte urbana, espaços de sociabilidade e extermínio da juventude negra.

Concepção: Criação Coletiva
Curadoria: Jardila Baptista, Hugo Bernardo e Vanessa Rocha
Metodologia de criação: Thiago Florencio
Direção de produção: Karla Suarez
Produção executiva: Marcelo de Brito
Assistência de produção: Lívia Laso e Thiago Rosa

Abertura: 7 de maio, às 19h
De 7 de maio a 6 de junho
Visitação de Quarta a Segunda, das 14h às 22h.
Entrada gratuita
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Galeria Marcantonio Vilaça 1
Classificação: Livre

GRAFITE NO MURO – COLETIVO DE RUA – CRUA

A grafitagem do muro do Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto será realizada pelo CRUA – Coletivo Criativo de Rua, a convite do Coletivo Bonobando, em coordenação temática com as atividades da Ocupação Bonobando no Sérgio Porto.

Pintura: Cruz e Rack
Direção de produção: Karla Suarez
Produção executiva: Marcelo de Brito
Assistência de produção: Lívia Laso e Thiago Rosa

Abertura: 7 de maio, às 19h
Permanência: de 7 de maio a 12 de junho
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – muro externo da Rua Humaitá
Visitação livre

Música

BALTAZAR – LANÇAMENTO DO EP “PRESSA”

Expoente da novíssima e independente cena musical carioca, Baltazar é uma banda de rock com talento para canções. Amigos desde o tempo de escola, os integrantes caminham juntos para a maturidade musical a partir deste primeiro EP, “Pressa”, gravado em dezembro de 2015 no estúdio Maravilha 8, com produção musical de Daniel Carvalho e Berna Ceppas. A música-título “Pressa” tem participação de José Ibarra e Lucas Nunes, da banda Dônica, e Leo Israel empresta seu teclado pop à faixa “Por Quê?”. No sambalanço “São Salvador”, um trio de metais dá a pegada de gafieira malandro-carioca. “Desafinar” e “Eu Não Volto Mais Pra Casa” completam o EP com temática e sonoridade próprias das composições Baltazarianas.

Pedro Mibielli: Voz e Guitarra
Jota Costa: Baixo e Composições
Pedro Tentilhão: Bateria

11 de maio
Horário: 21h
Valor: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia e lista amiga)
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

VERTIN MOURA

Vertin

Festival de Inverno de Garanhuns 2013. Vertin Moura, de Arcoverde, encerrou a noite de segunda-feira no Palco Pop, que ainda teve participação especial de Lirinha. Foto: Marcelo Soares/Secult/Fundarpe. 22/07/2013.

O artista de Arcoverde – PE apresenta uma sonoridade que interage com suas influências diretas da Música Popular Brasileira e do rock psicodélico. Sua música incorpora ao seu show gestos, cores e sons, transformando o palco de “Para a voz” num ambiente de sinestesias. Considerado pela imprensa de Pernambuco como “destaque/revelação” do Festival de Inverno de Garanhuns 2013, “o novo nome” da música de Pernambuco 2014 fez parcerias com os músicos Lirinha, Almério, Juliano Holanda, entre outros, fazendo culminar no lançamento do single De alma, corpo, mente e coração (2014) com participação de Marcelo Jeneci nos vocais. Em 2015, foi a vez de VERTIN ter sua estreia no cinema compondo o elenco do filme Big Jato, novo filme premiado no Festival de Brasília, do diretor Cláudio Assis.

Voz e guitarra: Vertin
Baixo: Ricardo Cotrim
Bateria: Marcílio Pereira
Produção: Coletivo Bonobando

12 de maio
Horário: 20:30h
Valor: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

QINHO + MOHANDAS

Qinho-Impar: Press Image

Mohandas_Por_VIctor_Curi

Dois dos nomes mais identificados com a cidade do Rio vão ocupar um dos teatros com maior histórico e vocação para a produção da música contemporânea carioca. O grupo carioca apresentará as canções do seu mais novo disco, “Um segundo”, o segundo na trajetória da banda, e o segundo a ter financiamento coletivo. Sob produção de Lucas Vasconcellos, o álbum traz dez composições do quinteto num encontro constante de ruídos de synths e congas, pandeiro e MPCs, alfaia e guitarras, rabeca e kaospad. Já o também carioca Qinho apresenta “Mono”, um compacto em vinil lo-fi que traz remixes de duas das músicas de maior destaque do álbum mais recente do artista, Ímpar – que complementa o repertório.

Diogo Jobim – microkorg e korg R3
Dudu Lacerda – voz, surdo e MPC 1000
Micael Amarante – voz e guitarra
Nana Orlandi – voz e ganzá
Pedro Rondon – baixo
Qinho – Voz, Guitarra e Programações
Guilherme Marques – Teclado e Programações

19 de maio
Horário: 20h
Valor: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia / lista amiga)
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

NOITE INSTRUMENTAL – RELOGIO DE DALÍ

RELOGIO DE DALÍ_Por_Andreia Mota

Criativo quarteto instrumental que respira a contemporaneidade, o Relógio de Dalí propõe ao público uma experiência musical contagiante. Nascido do encontro de quatro jovens instrumentistas, compositores e arranjadores requisitados nos mais diversos meios musicais – do Jazz à MPB, do Choro ao Rock -, o grupo carrega uma bagagem musical forte e variada, que ultrapassa barreiras, como a entre a música popular e a erudita. Em novembro de 2015, o quarteto se apresentou na Sala Funarte Sidney Miller com participação de Hermeto Pascoal, um dos ícones mundiais das música instrumental brasileira. O grupo lançará, no primeiro semestre de 2016, o EP “Relógio de Dalí”, com quatro faixas, uma composição de cada integrante.

Yuri Villar – sax
Victor Ribeiro – violão de 7 cordas
Lourenço Vasconcellos – bateria
Pablo Arruda – contrabaixo acústico e elétrico
25 de maio
Horário: 21:00h
Valor: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia e lista amiga)
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

ANDREIA MOTA – FESTA DOS ANCESTRAIS

Andreia Mota_Por_Linn Jardim

Com um repertório de músicas pulsantes, brasileiras, afro-brasileiras e latino-americanas, Andreia conecta referências atuais com nossas raízes ancestrais, celebrando o passado no movimento do corpo e do espírito, e falando de mitos, ritos, sagrado e profano. Com composições próprias e de seus contemporâneos Luiz Nascimento, Alberto Americano, e releituras de Gilberto Gil, Lenine, Baden Powell, Os Tincoãns, Jorge Benjor, entre outros, o show traz ainda as participações especiais de Arthus Fochi, Babu Santana e Tamara Trindade.

Voz: Andreia Mota
Sintetizador: Guilherme Marques
Bateria: Lourenço Vasconcellos
Baixo: Pavlo Arruda
Violão: Victor Ribeiro

18 de maio
Horário: 21:00h
Valor: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia e lista amiga)
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

Multilinguagem

CEP 20.000

Cep 20.000, desde 1990, o mais tradicional sarau do Rio de Janeiro traz o melhor nas novas gerações de poetas, músicos, performers da cidade.
Direção e apresentação: Ricardo Chacal.

26 de maio
Horário: 20h
Valor: R$5,00
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

SARAU PALCO DE GALA

– EDIÇÃO: A INVASÃO

Noite de números circenses, palhaços, teatro, performance, música e outras modalidades com coletivos e artistas convidados. Evento criado pela dupla de comediantes Marcelo Magano e Patrick Sonata, ambos moradores da Cidade de Deus e integrantes do Coletivo Bonobando desde seu primeiro ano. O show é um cabaré-baile que utiliza os elementos de festa popular na favela: aniversário de criança, feijoada na laje, samba de quintal e baile de rua com churrasco. Com todo o ritual que cabe a essas festas – mesinhas para os convidados, samba tocando etc -, porém, com o requinte e a fineza de uma festa de gala, numa brincadeira satírica com a pompa das festas de salão da elite. Um DJ faz a condução musical, tocando samba de raiz, pagodes clássicos, atuais e funks ao comando dos mestres de cerimônia (MC’s).

Concepção: Marcelo Magano e Patrick Sonata
Convidados: Briam Amorim, Jorge Lyra, Vidiga Improvisa, Mc Celinho e Thiago Rosa
Direção de produção: Karla Suarez
Produção executiva: Marcelo de Brito
Assistência de produção: Lívia Laso e Thiago Rosa

13 de maio
Horário: 20:00h
Entrada gratuita
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

Oficina

INTERCÂMBIO “TROCAS COLETIVAS”

Durante 3 dias serão realizadas oficinas de intercâmbio de práticas teatrais entre coletivos e grupos formados por jovens da região metropolitana do Rio de Janeiro.

Concepção: Criação Coletiva Bonobando
Curadoria: Karla Suarez, Lívia Laso e Thiago Rosa
Coletivos convidados: Gaupoz, Prática de Montação, Folia de Reis do Santa Marta, Coletivo Errante, Circo no Ato, Grupo Manguinhos em Cena e Cia. Um Monte de Gente
Oficineiras convidadas: Cátia Costa e Yá Wanda Araújo
Direção de produção: Karla Suarez
Produção executiva: Marcelo de Brito
Assistência de produção: Lívia Laso e Thiago Rosa

18, 19 e 20 de maio
Horários: 15h às 19h
Entrada gratuita
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Galeria Marcantonio Vilaça 2
Participantes convidados
Classificação: Livre
Capacidade: 20 lugares

Mesa redonda

MESA DE CONVERSA “TROCAS COLETIVAS”

O encerramento do intercâmbio “Trocas Coletivas”, do Coletivo Bonobando, será uma roda de conversa aberta sobre modos de produção, criação e gestão coletivas recebendo importantes nomes da cena cultural da cidade.

Curadoria: Adriana Schneider, Karla Suarez, Lívia Laso e Thiago Rosa
Convidados: Carmem Gadelha, Eleonora Fabião, João Carlos Artigos, Julio Adrião, Marcelo Calero, Marcus Galiña e Verissimo Junior
Direção de produção: Karla Suarez
Produção executiva: Marcelo de Brito
Assistência de produção: Lívia Laso e Thiago Rosa

20 de maio
Horário: 19h às 22h
Entrada gratuita
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 130 lugares

MESA DE CONVERSA “COMICIDADE NA CIDADE”

Contando com a participação de João Carlos Artigos, ator e fundador do Teatro de Anônimo, a roda de conversa “Comicidade na Cidade” receberá Leonardo Lanna (Sensacionalista) e Georgiana Góes (atriz do programa Tá no Ar). Uma roda de discussão com profissionais do riso de gerações, plataformas e formações diferentes. O evento vai discutir quais os caminhos cada comediante fez em diferentes plataformas, seja na rua, televisão, teatro e internet. Estarão presentes na mesa diversas personalidades do riso, como Sérgio Machado, mediados pelos atores Patrick Sonata e Marcelo Magano.

Concepção: Criação Coletiva Bonobando
Curadoria: Adriana Schneider, Lucas Oradovschi, Marcelo Magano e Patrick Sonata
Convidados: Leonardo Lanna, Georgiana Góes e Sérgio Machado
Direção de produção: Karla Suarez
Produção executiva: Marcelo de Brito
Assistência de produção: Lívia Laso e Thiago Rosa

27 de maio
Horário: 20h
Entrada gratuita
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Teatro
Classificação: Livre
Capacidade: 98 lugares

Sérgio Porto – Em Janeiro

Strindbergman

Nicole Cordery e Janaína Suaudeau

Clique para ampliar

Produção francesa, a peça “Strindbergman” estréia no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto no dia 06 de janeiro de 2010

Interpretada por duas atrizes brasileiras, a produção francesa propõe o diálogo entre as obras de August Strindberg e Ingmar Bergman. Uma estranha relação de simbiose e manipulação toma forma entre duas mulheres. O espetáculo integra o Ano da França no Brasil

Estabelecer um diálogo entre a palavra e o silêncio. Uma personagem que não fala manipula outra que não consegue se calar. Esse é o mote da peça Strindbergman, que estréia no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto no dia 06 de janeiro de 2010.

A produção francesa propõe o encontro entre a peça e o filme dos artistas suecos August Strindberg e Ingmar Bergman, respectivamente, A Mais Forte (1888) e Persona (1966). No palco estão a brasileira Nicole Cordery e a franco-brasileira Janaína Suaudeau, sob a direção da francesa Marie Dupleix. A atriz Clara Carvalho, integrante do Grupo Tapa, faz participação especial. O espetáculo integra o Ano da França no Brasil e fez parte do Festival Strindberg, realizado no VIGA Espaço Cênico (SP) em novembro e dezembro de 2009.

A ideia nasceu dos estudos da atriz Nicole Cordery, que defendeu sua dissertação na Sorbonne Nouvelle, em Paris, sobre a obra de August Strindberg (1849 – 1912). “A peça A Mais Forte, de 1888, inspirou o filme Persona, de 1966. Muitos outros textos e a autobiografia de Strindberg também conduziram Bergman a escrever e filmar roteiros”, explica Nicole.

“A peça de Strindberg que realmente dialoga com Persona é A Mais Forte, em que, além da questão formal, em que uma mulher fala o tempo todo, impulsionada pelo silêncio da outra, temos o cruzamento de elementos temáticos, como a maternidade, o mundo do teatro, o riso e a possessão de personalidade entre dois personagens”, completa.

A atriz, que fez parte do Grupo TAPA durante sete anos, conta que o projeto existe desde 2006. A partir de 2007, começou a produção em parceria com Janaína Suaudeau, uma das poucas atrizes estrangeiras a ter cursado o concorrido Conservatório Nacional de Paris, e o diretor Didier Moine, que faleceu no meio do processo. “A diretora Marie Dupleix, sócia e amiga de Didier, nos assumiu completamente em sua companhia, chamada Les Mistons, alguns meses depois da morte dele.”

O projeto faz parte das comemorações do Ano da França no Brasil, no recorte considerado como mostra paralela.

O Espetáculo

Na história, a atriz Elisabeth Vogler (Nicole Cordery) se torna silenciosa e imóvel. A jovem enfermeira Alma (Janaína Suaudeau) é destacada para tratá-la. Entre delírios e as lembranças de espetáculos passados, uma estranha relação de simbiose e manipulação toma forma entre as duas personagens através do silêncio.

A atriz se isola em uma casa de praia com a enfermeira, que fica fascinada pelo seu silêncio. Alma tenta preencher o silêncio com suas próprias palavras e, sem perceber, conta toda a sua vida, seus casos, seus desejos, seus traumas. À medida que o silêncio de uma se intensifica, as palavras da outra tornam-se mais provocadoras.

Uma terceira personagem tem papel fundamental na trama. Trata-se da doutora interpretada pela atriz Clara Carvalho. “É ela quem abre e fecha a peça, e que estabelece uma ponte com o público”, conta Nicole, que já havia trabalhado com Clara no Grupo Tapa.

Nicole conta que um papel como o de Elisabeth Vogler exige um controle corporal absoluto e bem desenhado. “Qualquer respiração de Elisabeth pode transmitir um significado. Além de não falar, trabalho a imobilidade do personagem, principalmente no começo da peça”, conta. “O movimento é necessário para a passagem do tempo, e esse é o grande desafio”, completa.

O espetáculo, que junta Bergman e Strindberg, conta com a intervenção de um vídeo. Referências do texto de A Mais Forte, peça curta do dramaturgo, aparecem na tela, enquanto o roteiro do cineasta se desenrola no palco. “O que nos interessou no processo de criação do nosso espetáculo não foi reproduzir no teatro um filme, ou filmar uma peça, mas estabelecer a disputa entre quem é ‘a mais forte’ tanto no roteiro do Bergman como na peça do Strindberg”, explica Nicole.

“O que me seduz nesse projeto é tudo que está em torno do silêncio e da palavra e, sobretudo, o processo psicanalítico inserido nessa relação. Na minha direção tento tornar esse universo simbólico acessível ao público,” diz a diretora Marie Dupleix à Revista Brazuca, publicada em Paris.

Sobre o autor
Johan August Strindberg (1849 – 1912), pintor, escritor e dramaturgo sueco, é um dos mais importantes dramaturgos do século XIX, ao lado de Henrik Ibsen e Anton Tchecov. Com as suas obras em prosa e os seus dramas, foi o grande destaque do naturalismo na Suécia e, ao mesmo tempo, o precursor do expressionismo e do surrealismo no teatro universal. Em suas peças autobiográficas, recriou ainda a sua problemática pessoal: três fracassos matrimoniais, solidão e abatimento espiritual. As suas obras impregnadas pela tristeza “O Pai” (1887) e “Senhorita Júlia” (1888), assim como as peças “Páscoa” e “A Dança da Morte” (ambas de 1891), ilustram esses conflitos. “O Pelicano”, “Sonata dos Espectros”, “A Casa Queimada” e “A Tempestade” (de 1907) já assinalam o caminho para o simbolismo. Após um longo período na França, na Suíça, na Alemanha e na Dinamarca, Strindberg regressa a Estocolmo em 1899, onde funda, em 1907, o Teatro Íntimo. Morre em 1912, de câncer no estômago, deixando romances autobiográficos e peças teatrais, poesia, pintura e ensaios sobre os mais diversos assuntos.

Sobre Ingmar Bergman
Ingmar Bergman nasceu em 14 de julho de 1918 em Uppsala, ao norte de Estocolmo. Filho de um pastor protestante, foi educado de maneira severa e austera. Essa formação religiosa marcou seu caráter. Estudou na Universidade de Estocolmo e aprendeu a arte da direção com um grupo de teatro estudantil, levando para a tela grande obras de Strindberg e Shakespeare. Em 1976 foi viver na Alemanha, devido a problemas com o fisco sueco, e em seguida estreou O Ovo da Serpente, sobre a ascensão do Nazismo. De volta à Suécia, filmou Fanny e Alexander, uma obra sobre sua infância e sua paixão pelo espetáculo que lhe rendeu quatro Oscars. Comandante da Legião de Honra, membro da Academia de Letras da Suécia e reputado dramaturgo, Bergman revelou sua vida privada e profissional nos livros Lanterna Mágica (1987), Imagens (1993) e Crianças de Domingo (1994), adaptado para as telas por seu filho Daniel. Casado cinco vezes, Bergman teve nove filhos. Ele morreu em 2007.

Serviço
Strindbergman – Estreia dia 06 de janeiro de 2010, quarta-feira às 21 horas, no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto.
Texto: A Mais Forte de August Strindberg e Persona de Ingmar Bergman Tradução – Diego Viana.
Com a Companhia Les Mistons – Nicole Cordery, Janaína Suaudeau e Clara Carvalho.
Direção – Marie Dupleix.
Assistente de Direção – Élodie Festal.
Cenografia, Imagens e Luz – Nicolas Simonin.
Assistente de Imagens – Florence Valéro. Figurinos – Anne Bothuon.
Assistente de Figurinos – Caroline Révillion.
Som – Arnaud Ledoux.
Objetos de Cena – Rita Carelli.
Maquiagem – Maud Baron.
Diretor de Palco – Jérôme Pratx.
Concepção Gráfica: Leonardo Miranda.
Temporada: de 06 de janeiro a 11 de fevereiro. Quartas e quintas às 21 horas. Ingressos – R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia entrada). Censura: 14 anos.
Duração: 80 minutos.